12 comentários sobre “Dito Pelo Não Dito

  1. Aqui vale lembrar a fábula: ” a coruja pobrezinha, bem sabe que não é bela; mas seu filhotes não julga, que se pareçam com ela…” ela é mãe, simplesmente mãe, coruja…

  2. Ontem digitei e coloquei ela no meu face e coloquei em modo público pq a única menção que achei no google foi aqui no seu blog

    Que bom saber que outras avós também contavam, a minha mesmo com alzheimer nunca esqueceu.

  3. Minha avó também recitava quase todo dia. Tanto que decorei:

    “A coruja, pobrezinha,
    Bem sabe que não é bela,
    Mas os filhotes não julga
    Que se pareçam com ela.

    Ela é mãe.
    Todas as mães julgam os filhos bonitos
    E neles, cheias de enlevo,
    Trazem sempre os olhos fitos.

    Com o gavião a coruja
    Encontrou-se certo dia.
    – Onde vai, caro senhor?
    E, assim dizendo, sorria.

    -Vou aos filhotes nos ninhos
    Para matar minha fome,
    Pois desde ontem de tarde
    Que o pobre gavião não come.

    Mas não coma os meus filhinhos
    Por caridade, senhor!
    Eles são bonitinhos,
    Frutos do meu amor!

    O gavião come os filhotes
    Que mais feios lhe parecem
    Para evitar que, em meio deles,
    Os da coruja estivessem.

    Ao voltar mais tarde a coruja
    Que dor n’alma, que frio
    Não encontrou mais os filhinhos
    Seu ninho estava vazio

    E louca, desesperada,
    Com o peito cheio de dor,
    Tombou no solo, esclamando:
    -Gavião traidor, oh, traidor!

  4. Chorei.
    Minha avó recitava para os netos.
    Durante anos e anos tentamos lembrar, mas ficávamos apenas no início.
    Estou tão tão feliz e emocionada.
    Presente para o meu dia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s