Inspiração | Margaret Atwood

Margaret Atwood e a Ficção Científica

The Handmaid’s Tale recebeu o primeiro Prêmio Arthur C. Clarke Award em 1987. Também foi nomeado ao Nebula Award de 1986 e ao Prometheus Award de 1987, ambos prêmios de ficção científica. No entanto, Atwood nega a ideia de que The Handmaid’s Tale e Oryx and Crake sejam ficção científica. Ao jornal The Guardian, ela afirmou preferir que sua obra seja considerada ficção especulativa a ficção científica. “Em ficção científica tem monstro e naves espaciais; ficção especulativa poderia realmente acontecer.”[5] Para ela, a diferença entre ficção científica e especulativa é que a primeira é algo que nós ainda não podemos fazer. E que a segunda, é sobre assuntos que já estão na nossa frente, e que acontecem na Terra.

Em entrevistas, Atwood já admitiu que obras como The Handmaid’s Tale e Oryx and Crake podem ser consideradas ‘ficção científica social’.

Margaret Atwood e o Feminismo

Atwood, que se envolveu no diálogo intelectual feminino no Victoria College, na Universidade de Toronto, frequentemente retrata personagens femininas dominadas pelo patriarcado em seus romances.[6] Ainda assim, ela nega que The Edible Woman, por exemplo, publicado em 1969 e que coincidiu com a segunda onda do movimento feminista, seja feminista e alega tê-lo escrito quatro anos antes do movimento. Atwood acredita que o rótulo feminista só pode ser aplicado a escritores que conscientemente trabalham na moldura do movimento feminista.[7] Em entrevista, Atwood já disse ficar na ponta dos dois extremos. Ela acredita que mulheres não devem ser vistas como inferiores aos homens, mas também não merecem ser vistas com preconceito por escolher ter filhos e um marido.

 

 

 

Section 27

To be in any form, what is that?
(Round and round we go, all of us, and ever come back thither,)
If nothing lay more develop’d the quahaug in its callous shell were enough.
Mine is no callous shell,
I have instant conductors all over me whether I pass or stop,
They seize every object and lead it harmlessly through me.
I merely stir, press, feel with my fingers, and am happy,
Walt Whitman
Anúncios

Publicado por leticiakamada

www.leticiakamada.com

Um comentário em “Inspiração | Margaret Atwood

  1. Nada mais atual e em evidência. A pesquisa retratada no cotidiano do artista…frontal e inteiramente exposto nas redes de comunicação.Nada é contrastante ou menor do que Margaret Atwood e sua busca desenfreada pela inserção da mulher nas relações diárias entre homem e mulher. O protagonismo femininofocado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: